[Resenha] Insurgente

Insurgente - Trilogia Divergente
Páginas: 512
Formato: 21x13,5cm
Preço: R$29,50
Onde comprar:
Submarino
Saraiva
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco Jovens leitores
ISBN: 9788579801556
Ano: 2013
Gênero: Distopia
Nota:
Sinopse:
Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.
Olá pessoal, eu sei que eu estou meio sumida, e quero pedir desculpas por isso, mas é que esse começo de ano foi muito tumultuado. Para começar tem aquela loucura do Natal e Ano novo e depois disso veio o sisu e resultados da faculdade e documentação... Enfim, um montão de coisas ao mesmo tempo. Então antes de tudo eu quero desejar a você um ótimo começo de ano, que vocês consigam realizar todos os seus sonhos e planos neste ano e que sejam muito felizes!!
Esse ano eu já consegui realizar uma das minhas metas que foi passar para uma faculdade pública (eu passei em Turismo na UFF) e com isso já comecei o ano com o pé direito e muito ansiosa para tudo de diferente que esse ano me reserva. Torçam por mim!.

Mas já chega de conversa fiada e vamos para o que interessa. Hoje a resenha é de Insurgente, o segundo livro da trilogia da Veronica Roth. Divergente, o primeiro livro dessa série, foi o último livro que li no ano e que fechou meu ano com chave de ouro. Por isso senti que era um dever começar o ano com a resenha desse livro.
Insurgente traz um novo olhar para essa Chicago distópica. Depois dos acontecimentos caóticos no final de Divergente, Tris é obrigada a sair da Audácia e ir para a amizade em busca de abrigo, mas as coisas não saem bem como ela planejava e ela percebe que irá ter que tomar muitas decisões arriscadas e trair a confiança de muitas pessoas para que verdade seja, em fim, dita.
A minha relação com esse livro foi de amor e ódio, mas eu meio que já esperava que isso fosse acontecer por causa de uma coisinha que a Tris teve de fazer no final do primeiro livro. Vocês devem ter percebido pela resenha anterior que eu amei a Tris como protagonista, e eu continuo amando, só que ela tava irritante nesse livro. Era um drama sem fim, uma choradeira que me fez não reconhecer ela como aquela Tris forte de Divergente, ela continuava enfrentando as situações, mas sem aquela audácia e força do primeiro livro. Sabemos que ela passou por poucas e boas no final livro anterior (Titia Veronica foi cruel), mas em muitos momentos eu queria entrar no livro e falar "filha, você ta em uma guerra, você vai morrer, acorda!", essa falta de reação e instinto da protagonista tornaram a leitura arrastada durante matade da história. Tinha tanta coisa acontecendo interessante, que podia ter sido explorada de maneira melhor, mas não foi porque a Tris só conseguia se focar nos seus dramas internos e ai a história não fluía, o leitor sente vontade de conhecer e saber mais, mas a trama não dava espaço para um visão mais profunda dessa sociedade.
“Não sou importante. Todos vão ficar bem sem mim,” digo.
“Quem liga para todo mundo? E quanto a mim?”
O Quatro continua perfeito como sempre, mas em algumas horas ele dava nos nervos junto com a Tris. Mas enfim do meio para o final da história a nossa protagonista voltou a reagir (tava na hora), claro que ela não voltou a ser a mesma, depois de tudo que ela passou não tinha nem como, mas acordou para a vida. E isso foi bom, porque ela mudou e fez indagações que eu nunca tinha visto em um protagonista, isso fez com que eu gostasse mais dela, ela fala sobre perdão e perda, todas as coisas que todos nós precisamos lidar no dia a dia.
“Tris,” ele diz com firmeza. Ele nunca me mima. Eu desejo que, apenas desta vez, ele me mime. “Você precisa. Você precisa sobreviver a isso.”
“Por quê?” A questão se forma em meu estômago e se lança de minha boca em um gemido. Eu sinto meus punhos contra o peito, como uma criança fazendo birra. Lágrimas cobrem minhas bochechas, e eu sei que estou sendo ridícula, mas não posso parar.
“Por que eu preciso? Por que outra pessoa não pode fazer algo pelo menos uma vez? E se eu não quiser fazer mais isso?”
Sobre a trama Veronica não deixa de nos surpreender sempre, ela fez muita coisa que me deixou chocada, matou muita gente (eu ainda choro com algumas mortes)e foram tantas reviravoltas que eu fiquei de boca aberta, algumas coisas eu esperava, mas outras foram uma total surpresa. Então mesmo com a Tris chata no início e a leitura um tanto quanto arrastada no início, acho que vale a pena a leitura.
Agora to ansiosa para o que vai ser da Tris e do Quatro nesse último volume da trilogia, eu espero muita coisa desse último livro.
Então, é isso, esse ano sai nas telinhas o primeira adaptação do livro de mesmo nome, Divergente, e estou ansiosa com o elenco e a produção. E se você não leu ainda esse livro, é uma ótima oportunidade de começar e descobri esse mundo criado pela maravilhosa Veronica Roth.

7 comentários:

  1. Isabela, primeiramente, parabéns pela sua conquista, por ter passado em uma facul pública! Isso é ótimo! *O* Agora, quanto ao livro, essa é uma série que tenho muito interesse em ler, mas que ainda não a li pelo motivo "estou tentando evitar séries". Mas está cada vez mais difícil, pois tem cada série boa sendo publicada por aí...

    Beijão,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Caroline!
      Eu já desisti de evitar de ler série. Agora o que eu faço é pensar: quantos livros tem a série? Todos já fora publicados? Vou ler o primeiro, se for bom vou devagar e sempre lendo até terminar. E divergente com certeza vale a pena.

      Excluir
  2. Morro de vontade de ler essa Trilogia, a maioria das resenhas que li sobre ele são positivas. A história parece bem envolvente. Adorei a resenha!

    Beijos
    http://www.culturaliteraria.com/

    ResponderExcluir
  3. Divergente está na lista de desejo que realmente se realizará, porque vi o trailer gostei muito do trailer. Espero que eu goste tanto quanto Jogos Vorazes!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei a ler a série por causa do Trailler.. srsrsr

      Excluir
  4. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir

Antes de comentar:

Adoraria saber a sua opinião, então não deixe de expor sobre o post! Mesmo querendo muito saber da sua opinião, os comentários precisam ser aprovados, para evitar comentários ofensivos e desrespeitosos.
E peço também que não peça parceria nem divulgue explicitamente o seu blog, pois temos o formulário de contato que serve para tudo isso.
E se você tem um blog, coloca um link para que eu possa visitar e deixar um comentário, mas nem sempre será possível, porém tentarei ao máximo.

Então, agora, deixe-me ouvir você :)

Perfil Perfil Image Map

 
Copyright © 2016 | Junto com Cris Lima | Layout e codificação por Cris Lima | Hospedado pelo Blogger